Brejo da Madre de Deus - PE


Brejo da Madre de Deus, um importante município no agreste pernambucano; tem a origem do seu nome em virtude de um acidente geográfico: um vale formado pelas serras da Prata, Estrago e Serra do Ponto. Abaixo um trecho do poema de Manoel Messias publicado  com o titulo "Homenagem ao Brejo da Madre de Deus"


Situado em um vale
Que vale muito para seus habitantes
Glorioso e honrado és tu!”


Em 1751, às margens do riacho, batizado como Madre de Deus, os padres da congregação São Felipe Nery fundaram um hospício e que um ano depois, Em 1752 os religiosos estabeleceram-se no local onde hoje está localizada a sede do Município, dando aí início ao seu desenvolvimento.



Sobre a fé do povo Brejense, Manoel Messias escreveu:


Terra de matas e serras
De história que marca
De água abundante
De fé pura e marcante.”


Uma cidade de belezas naturais que fascinam, paisagens, flora e fauna ricas em diversidades e com água em abundância fazem do Brejo da Madre de Deus, um lugar ideal para viver. Mata do Bitury, reserva natural de mata atlântica com aproximadamente 600 hectares, situada a 1.050 metros de altitude; nela encontramos árvores centenárias e de grande porte, córregos perenes. Sobre o território onde se localiza a Mata do Bitury, existe uma controvérsia em questão a qual município, o mesmo pertence: Brejo ou Belo Jardim.



No contexto cultural o Brejo da Madre de Deus destaca-se pela encenação da Paixão de Cristo, evento cultural e religioso que acontecem no distrito de Fazenda Nova onde se localiza o maior teatro ao ar livre do mundo; Nova Jerusalém. Trecho do Poema de Manoel Messias

Cultura que cultua a fé
Riqueza em formosuras, históricas relíquias.
História de milhares de bondade na formação do seu povo.
Brejo da madre de Deus seja sempre glorioso.”


Este foi, um breve resumo sobre o município do Brejo da Madre de Deus, existem mais riquezas a serem citadas, belezas a serem reveladas e histórias a serem contadas.